Alergia Alimentar X Intolerância Alimentar

Muitas pessoas confundem alergia alimentar com intolerância alimentar. Ambas as situações são causadas após a ingestão de um alimento não bem aceito pelo organismo mas incluem respostas orgânicas distintas.

Alergia ou hipersensibilidade alimentar ocorre quando ingerimos alimentos e o nosso sistema imunológico não o reconhece. Na tentativa de eliminá-lo há liberação de anticorpos, que por fim liberam histamina, um neurotransmissor que pode causar rubor, prulido (coceira) e vasoconstrição. Podem também ocorrer sintomas como edema de mucosas, urticárias, vômito, diarréia e anafilaxia.

Na lista dos principais alimentos alergênicos estão: leite de vaca, ovo, amendoim, trigo, soja, peixe, frutos do mar e nozes, mas é possível o aparecimento da alergia a outros alimentos também..

A alergia ocorre em maior freqüências nas crianças, por estarem iniciando a alimentação, por isso é importante introduzir os alimentos aos poucos e um por vez, para melhor percepção de possíveis reações.

Quando ocorrer a alergia é importante buscar orientação medica, para obter o bloqueio do processo alérgico, que geralmente ocorre com medicamentos.

Existe teste para diagnosticar as alergias, este é realizado por profissional especializado alergista, e pode identificar através de teste cutâneo, possível alergia que o individuo possa apresentar.

É necessário excluir o alimento causador da alergia da dieta, mas isso não significa que o mesmo nunca mais poderá ser consumido, pois com o tempo pode tentar a inserção dele novamente na dieta, em quantidade e freqüência adequada e sob orientação de um profissional especializado, como o nutricionista.

Intolerância alimentar é uma reação adversa do alimento que não tem nada a ver com o sistema imunológico. É causada pela deficiência ou ausência de alguma enzima digestiva. O exemplo mais comum é o da intolerância à lactose, na qual o açúcar do leite não é digerido já que falta a enzima lactase, ainda que parcialmente.

Os sintomas apresentados normalmente envolvem vômitos, náuseas, dores abdominais. A intolerância pode causar ainda a depressão, acne ou outras alterações dermatológicas, prisão de ventre, diarréia, ganho de peso, síndrome do intestino irritável.

Dependendo do tipo de manifestação/sintoma, podem ser solicitados testes de IgE (testes sanguíneos de alergia) para os alimentos suspeitos. Pode ainda ser sugerida a dieta de prova na qual o alimento é excluído da dieta para observação e posteriormente reintroduzido para comparação. Mas essa condução deve ser discutida com o médico.

No caso da intolerância, existem no mercado produtos que podem amenizar o problema. É o caso da lactase que pode ser manipulada e usada antes de comemorações e festas por exemplo.

Em ambos os casos, o cuidado nutricional é fundamental e visa a orientar o cliente sobre a exclusão dos alimentos prejudiciais além de orientá-lo sobre possíveis substituições de alimento.

A Nutrício possui programas nutricionais específicos para a orientação a clientes com alergia e intolerância alimentar. Trabalhamos também com o planejamento de refeições e criação de cardápios familiares (serviço de Personal Health disponível para todo o Brasil). Econtre o nutricionista mais próximo de você pesquisando em nossa Rede Credenciada de Nutricionistas.

Por: Jaqueline Assis e Gleiciane Soares (graduandas em nutrição) e Mariana Braga Neves (nutricionista)