Alimentação no Autismo

No tratamento do autismo a alimentação tem um papel fundamental. Alguns alimentos podem intensificar os sintomas como a farinha de trigo, o leite e a soja. Quando eles são retirados da dieta dos autistas, geralmente eles ficam mais calmos e ocorre melhora da atenção e concentração. Isso ocorre porque uma grande parte dos autistas apresentam uma deficiência enzimática que inibe a digestão completa da proteína presente nestes alimentos. Essa condição leva à formação de grande quantidade de pequenos peptídeos (fraguimentos de proteína) dentro do intestino, que possuem ação farmacológica semelhante ao ópio.

Esses compostos apresentam a capacidade de atravessar a parede do intestino, cair na corrente sanguínea e chegar ao Sistema Nervoso Central. Atuam como uma substância opiácia no cérebro, intensificando os sintomas da síndrome, como a falta de concentração e isolamento.

A Nutrício conta com o serviço de antendimento nutricional para crianças e adolescentes autistas. O serviço começa com a aplicação de um questionário direcionado aos pais para que o nutricionista possa conhecer melhor as características próprias da pessoa que será atendida. Desta forma, o atendimento é todo personalizado e conta com recursos que possam chamar a atenção do cliente, facilitando a adesão ao tratamento nutricional. Indicado para os que buscam a reedução alimentar, o controle do sobrepeso/obesidade ou tratamento de transtornos específicos como diabestes, constipação intestinal e outras doenças.

Trabalhamos também com o planejamento de refeições e criação de cardápios familiares (serviço de Personal Health disponível para todo o Brasil).

Encontre o nutricionista mais próximo de você pesquisando em nossa Rede Credenciada de Nutricionistas.

Leia também a matéria: Autismo, como a Nutrição pode Contribuir »