Nutrição Adequada Beneficia Quem Tem o Diabetes Tipo 2

O diabetes é uma doença caracterizada por desordens metabólicas capazes de elevar a taxa de glicemia de jejum e/ou pós­prandial. A taxa normal de glicemia para adultos é de 60 a 99 mg%. Taxas elevadas necessitam de avaliação médica para o adequado diagnóstico. Quem sofre com o diabetes pode ter não somente a hiperglicemia como também padecer com os episódios de hipoglicemia, ou seja, queda dos valores de açúcar no sangue. Esse evento é mais comum no diabetes tipo 1, quando não há a produção do hormônio insulina. Descoberto normalmente na infância ou adolescência, o diabetes tipo 1 é também chamado de juvenil ou insulino-dependente. Nos preocupa também o diabetes gestacional (que pode acometer mulheres grávidas) e o diabetes tipo 2, assunto dessa matéria.

Diferentemente do diabetes tipo 1, o tipo 2 não costuma precisar de insulina para o tratamento no primeiro momento mas é também de grande importância. Há algum tempo, o diabetes tipo 2 atingia pessoas a partir de 40 anos. Porém, com os maus hábitos alimentares das crianças e jovens associados ao sedentarismo e à obesidade, cada vez mais temos notícias de jovens portadores.

No diabetes tipo 2, ocorre uma resistência à insulina ou uma produção insuficiente desse hormônio responsável por regular a entrada de glicose nas células. Saiba mais sobre o problema!

Sintomas do Diabetes Tipo 2

  • Feridas que não cicatrizam;
  • Aumento da fome;
  • Fadiga;
  • Presença de acúcar na urina;
  • Pele seca;
  • Sensação de formigamento e alfinetadas nos pés.

Diagnóstico do Diabetes Tipo 2

As consultas de rotina são fundamentais para que o médico possa solicitar a dosagem de glicemia. Caso esteja alterada outros exames complementares são solicitados para que o tratamento seja conduzido da forma correta.

Tratamento do Diabetes Tipo 2

O tratamento do diabetes mellitus tipo 2 normalmente tem três pilares: medicação, nutrição adequada e atividade física orientada.

Dicas do nutricionista para para o Diabetes Tipo 2

  • Conhecer o peso saudável e buscar um programa de emagrecimento correto para atingi-lo;
  • Fracionar a dieta. Comer em intervalos de no máximo de três em três horas;
  • Evitar carboidratos simples como o açúcar de mesa, o mel, o mascavo. O ideal é que o nutricionista avalie a quantidade diária permitida desse tipo de carboidrato ou se será preciso usar adoçantes e indicar qual a melhor opção;
  • Aumentar o consumo de frutas e hortaliças. Em geral não há fruta proibida no diabetes tipo 2 mas é preciso que o nutricionista indique a porção e horário para consumo;
  • Reduzir carboidratos refinados encontrado em pães de forma , massas, bolos, biscoitos. O ideal é que versões de alimentos integrais sejam introduzidas como pães de grãos, bolos feitos com aveia e banana, sem açúcar, macarrão integral;
  • Ingerir água e quantidade adequada;
  • Evitar o consumo de bebidas, como refrigerantes e achocolatados porque são ricos em açúcar. Substituir por sucos naturais de preferência sem adição, aproveitando o sabor natural do alimento;
  • Aumentar o consumo de fibras. Além de auxiliar na perda de peso, por causar saciedade, diminuem o colesterol ruim e controlam o metabolismo dos carboidratos, diminuindo a velocidade da entrada da glicose no sangue . Presente em frutas, hortaliças, leguminosas, cereais integrais;
  • Restringir o consumo de frituras, gordura trans e animal podendo causar ao longo prazo , hipertensão, aterosclerose;
  • É recomendada prática de exercícios sob orientação de profissional.

A Nutrício possui programas nutricionais específicos para os diabéticos. Trabalhamos também com o planejamento de refeições e criação de cardápios familiares (serviço de Personal Health disponível para todo o Brasil). Encontre o nutricionista mais próximo de você pesquisando em nossa Rede Credenciada de Nutricionistas.

As consultas regulares ao nutricionista são muito importantes, porque este profissional é capaz de determinar as quantidades exatas dos alimentos de cada grupo que cada individuo deve comer. O diabético que segue a dieta prescrita tem menor chance de apresentarem as complicações tardias.

 Gleiciane Soares Silva - acadêmica de Nutrição/PUC Minas
 Mariana Braga Neves - nutricionista e editora deste site

Leia também a matéria Benefícios do Exercício para Pacientes Diabéticosos »