Dieta Parenteral

Dieta parenteralNutrição Parenteral Total (NPT) consiste em uma solução ou emulsão composta basicamente por carboidratos, aminoácidos, lipídeos, vitaminas e minerais. Acondicionada em recipiente de vidro ou plástico, destinada a administração intravenosa em pacientes desnutridos ou não, em regime hospitalar, ambulatorial ou domiciliar, visando a síntese ou manutenção dos tecidos, órgãos ou sistemas.

A nutrição parenteral é necessária nos casos em que a alimentação oral normal não é possível, quando a absorção de nutrientes é incompleta, quando a alimentação oral é indesejável e, principalmente, quando as condições mencionadas estão associadas, ou podem evoluir para um estado de desnutrição.

Indicações

A nutrição parenteral pode ser usada tanto por adultos quanto por crianças.

Adulto: pré-operatório, em doentes desnutridos, com obstrução no trato gastrointestinal, complicações pós cirúrgicas, queimaduras graves, etc.

Crianças/recém-nascido: prematuros com baixo peso, má formação congênita do trato gastrointestinal, diarréia crônica intensa, etc.

Composição da solução

Uma nutrição parenteral total típica para adulto, contém: Solução de Aminoácidos Totais 10%, Solução de Glicose 50%, cloreto de Sódio 20%, Cloreto de Potássio 19,1%, Fosfato de Potássio, Gluconato de Cálcio, Sulfato de Magnésio, Solução Multivitamínica, Solução de Oligoelementos, Solução de lipídeos 20%.

Fontes de Nitrogênio

Na TNP o nitrogênio é fornecido através de uma mistura de aminoácidos colocados em solução. As soluções contém aminoácidos essenciais e não essenciais.

Fontes calóricas

  • Solução de glicose: é uma fonte calórica pronta para utilização e é a única que pode ser utilizada de forma exclusiva. Além disso é facilmente encontrada e de baixo custo.
  • Emulsões lipídicas: proporciona uma NPT de menor volume, por ser mais calórica, quando comparamos com aquela que utiliza somente a glicose como fonte calórica. São utilizadas emulsões a base de óleo de soja, óleo de peixe, óleo de oliva ou a mistura deles.

Eletrólitos, vitaminas, oligoelementos

A adição desses elementos deve ser feita de modo a atender as necessidades diárias e para manter íntegros os processos fisiológicos intra e extracelulares.

Tipos de NPT

A) Quanto a via de administração

  • NPT periférica: É realizada infusão por veia periférica por serem soluções com baixa osmolaridade. Esta NPT é normalmente empregada na fase inicial da terapia nutricional parenteral, até que se estabeleça um acesso central, ou em pacientes de curto tempo de terapia.
  • NPT central: É realizada infusão em veia central de grosso calibre, normalmente veia cava superior. Isso se deve a alta osmolaridade da NPT o que impede sua administração por via periférica devido as grandes chances de infecções.

B) Quanto a composição da solução

  • Sistema glicídico, binário ou “dois em um”: Este sistema é composto por duas soluções de grande volume, uma solução de aminoácido, que é fonte de nitrogênio, e uma solução de glicose, que é fonte de energia.
  • Sistema lipídico, ternário ou “três em um”: Este sistema é composto por três soluções de grande volume: a solução de aminoácido, fonte de nitrogênio, a soluçào de glicose, que é fonte de energia, e a solução de lipídeos como fonte de energia e de ácidos graxos essenciais.

Osmolaridade de solução de NPT

É o parâmetro que avalia a via de infusão recomendável a administração da nutrição parenteral . O limite para via de administração periférica é até 900 mOsm/L, acima disto, recomenda-se a via de administração central, a fim de se prevenir o surgimento de infecções no paciente.


Continuação da matéria sobre a Dieta Parenteral »