A Dieta Termogênica e o Metabolismo

O metabolismo energético é a quantidade de quilocalorias que nosso corpo necessita para realizar as funções vitais e as atividades diárias. O metabolismo de repouso é responsável por certa de 70% do nosso gasto diário. Ele pode ser medido pelo exame calorimetria indireta. Ao comparar o resultado do exame com metabolismo de repouso esperado para as características individuais, observamos se o metabolismo da pessoa é normal, abaixo do normal, ou ainda acima do normal.

Indivíduos com metabolismo de repouso abaixo do recomendado, têm maior dificuldade em perder peso, ou seja, para emagrecer. Apesar da maior parte do metabolismo ser determinado geneticamente, existem algumas mudanças nutricionais e o estilo de vida que podem ajudar o nosso organismo a trabalhar melhor e acelerar a forma como utiliza a energia (caloria).

A atividade física atua diretamente no metabolismo. Sabe-se que a massa magra é um fator determinante de nosso metabolismo basal, pessoas que possuem maior quantidade de massa magra têm um maior gasto energético. Além de aumentar o gasto pela presença dos músculos, por si só aumenta também o percentual de atividade física relacionado ao metabolismo. Por isso a pratica é aconselhada e de preferência com orientação de um profissional capacitado.

A composição dietética também pode auxiliar na alteração do metabolismo. As proteínas dentre os macronutrientes (lipídeos, carboidratos) são as que mais gastam energia para serem metabolizadas. Dessa maneira uma dieta com conteúdo menor em carboidratos e aumentado em proteínas, pode auxiliar no aumento do metabolismo (dieta termogênica). Essa recomendação só deve ser feita com um profissional após avaliação física prévia.

Existem alguns alimentos que precisam de mais calorias para ser digeridos que os outros, eles são denominados alimentos termogênicos. O que se sabe é que esses alimentos são responsáveis por 10% do gasto de energia. Contra indica-se o uso desses alimentos no período noturno para não prejudicar o sono, além disso, existe a recomendação individual e deve ser feita por um profissional. Alguns exemplos de alimentos termogênicos são: café, pimenta-caiana, gengibre, chá-verde, vinagre de maçã, soja.

Os intervalos regulares entre as refeições atuam diretamente no aumento do metabolismo alimentar, o contrário acontece quando permanecemos por longos períodos sem comer, pois isso ativa em nosso corpo, mecanismos de defesa que acabam estocando gorduras.

Engordar e emagrecer com frequência não é interessante, pois ao perdermos peso perdemos também massa magra, dessa maneira acabamos reduzindo o metabolismo também, já que ele se relaciona diretamente com os músculos.

Garantir um sono regular, além de saudável pode contribuir para aumentar nosso metabolismo. No período em que dormimos, nosso organismo libera alguns hormônios responsáveis pela manutenção da magra muscular, além de oxidação de gorduras, principalmente a abdominal.

Alguns distúrbios hormonais como os da tireóide podem reduzir o metabolismo, é importante procurar tratamento médico e seguir as recomendações.

A Nutrício possui programas nutricionais específicos para o emagrecimento. Trabalhamos também com o planejamento de refeições e criação de cardápios familiares (serviço de Personal Health disponível para todo o Brasil). Encontre o nutricionista mais próximo de você pesquisando em nossa Rede Credenciada de Nutricionistas.

Por Natália Lúcia - Nutricionista