Alimentação no Hipotireoidismo e Hipertireoidismo

Transtornos como hipotireoidismo e hipertireoidismo são comuns em nosso dia. No hipotireoidismo há uma deficiência na produção dos hormônios da tireóide, glândula que controla a velocidade das reações orgânicas e que localiza-se na parte da frente do pescoço. A tireóide produz os hormônios tiroxina (T4) e tri-iodotironina (T3), que controlam como cada célula do corpo gasta energia, o que chamamos de metabolismo. Como consequência disso, o hipotireoidismo provoca lentidão no metabolismo o resulta em ganho de peso, fadiga, constipação intestinal, especialmente em adultos.

Observa-se também queda de cabelo, enfraquecimento das unhas, depressão, sono. Os sintomas dependem da idade do indivíduo e da gravidade da situação. Em crianças por exemplo, quando não tratado, o hipotireoidismo pode ocasionar prejuízos no ganho de estatura, atraso na puberdade e até mesmo retardo mental. As principais causas do hipotireoidismo são: uso de alguns medicamentos, cirurgias na glândula e processos inflamatórios.

Já o hipertireoidismo, há uma produção excessiva dos hormônios da tireóide, o que também não é bem vindo e precisa ser controlado. Em adultos os sintomas podem ser agitação excessiva, falta de sono, irritabilidade, emagrecimento. As causas podem ser a ingestão excessiva de iodo, a doença de Graves, nódulos na glândula e diversas tireoidites.

O diagnóstico é feito pelo médico a partir de uma boa avaliação clínica e laboratorial. Em geral são dosados hormônios como TSH, T3 e T4. A nutrição adequada e personalizada auxilia o tratamento médico mas de forma alguma substitui a necessidade de uso da medicação prescrita pelo médico. As doenças da tireóide podem provocar alterações em exames como o de colesterol, glicose, vitamina B12 e prejudicar o funcionamento de diversos órgãos. A dieta atua de duas formas: auxiliando o bom funcionamento da glândula e reduzindo ou tratando os sintomas decorrentes do transtorno.

O trabalho nutricional começa com um bom planejamento capaz de evitar o emagrecimento ou o ganho de peso que ocorrem respectivamente no hiper e no hipotireoidismo. Alimentos são selecionados para um bom funcionamento do intestino. Fitoterápicos capazes de melhorar a disposição podem ser selecionados para portadores de hipotireoidismo, assim como alimento que melhoram a liberação de hormônios do bem estar como as fontes de vitamina B6 como a banana. O consumo excessivo de sal deve ser evitado, principalmente por causa do iodo que por lei é adicionado ao sal. Há a possibilidade de manipulação de sal sem iodo. Alimentos industrializados devem ser evitados porque doenças da tireóide podem ter sua causa também no consumo de aditivos muitas vezes usados nesses alimentos. Frutas, vegetais, grãos integrais são excelentes até porque ajudam na manutenção do peso e é sabido que a obesidade está envolvida em transtornos da tireóide.

Continuação da matéria Nutrição nos transtornos da tireóide: hipotireoidismo e hipertireoidismo »